52. EXPERIÊNCIAS VIVIDAS – POMAR DOS VETERANOS – FÁBRICA ITAJAÍ – SC – VOTORANTIM CIMENTOS

Esse foi um pequeno projeto, mas de muita representatividade. Queremos que o conheça desde a geração da ideia. Isso ocorreu na Fábrica Itajaí – Itajaí – SC – Votorantim Cimentos.

Um dia, o Eng. Marcio Petermann trouxe uma ideia para nossa análise e aprovação. Pensava em prestarmos uma homenagem aos primeiros colaboradores que trabalharam na empresa. Para isso, analisamos as fichas prontuários que estavam ainda arquivadas, com todo o zelo. Separamos  as fichas dos pioneiros que fizeram a história daquela unidade. Ver a ordem com que eles foram admitidos, foi fácil. O que foi bem mais difícil, mas não impossível, foi saber quem estava vivo e como iríamos encontrá-los. Deu trabalho, mas como Itajaí é uma cidade pequena, fomos perguntando para meio mundo e selecionamos os 30 pioneiros.

Antes de convidá-los, conversamos sobre a programação, de uma forma que fosse muito marcante para cada um deles e nossa também. Afinal, seria um reencontro de muitas dezenas de anos.

Uma de nossas premissas, é que deveria ser implantado o projeto, mas com Custo Zero. Reunimos o pessoal da Célula de Apoio e verificamos se eles topariam mais aquele desafio e implantaríamos a infra estrutura fora de nossas jornadas de trabalho. Na hora, aceitaram e ficaram muito felizes com a ideia.

Decidimos que nossos homenageados receberiam o convite pessoalmente, para que também soubéssemos se eles teriam condições de locomoção, para poder participar de cada etapa da nossa programação, que era:

  • Recepção e boas vindas.
  • Auto apresentação com nomes, idades, cargos que ocupavam, anos de empresa, lembranças pitorescas e marcantes.
  • Apresentação de como estava a fábrica modernizada, através de dados e fotos.
  • Visita em todas as instalações.
  • Marcar sua visita através do plantio de uma árvore frutífera para cada um dos nossos homenageados.
  • Almoço de confraternização.
  • Reunião de avaliação.
  • Entrega de uma lembrança.
  • Despedida.

Fizemos um plano de ação muito detalhado, pois não queríamos que houvesse uma mínima falha.

Vieram nos visitar, 20 “veteranos” dos 30 selecionados inicialmente.

Na auto apresentação já fomos tendo surpresas e emoções, pois eles foram comentando detalhes que nós desconhecíamos. Eles adoraram ter a palavra livre e todos os presentes prestando máxima atenção a cada palavra deles.

No kit dos visitantes, além dos EPIs, até capa de chuva foi prevista, para que ninguém se molhasse durante a visita de campo, caso chovesse.

As covas do pomar já estavam prontas pela Célula de Apoio, adubadas e as mudas das árvores frutíferas ao lado de cada uma. Queríamos que eles fizessem o mínimo esforço, pois a maioria tinha bastante idade.

Se impressionaram com a limpeza impecável de tudo que visitaram, arrumação extremamente zelosa, moinho de bolas para cimento de grande porte perto do que eles usaram antigamente, ensacadeiras automáticas, paletizadoras automáticas, oficina de manutenção com piso pintado e sem uma sujeira, o setor de lubrificação, com piso e paredes sem uma gota de óleo ou graxa (graxeiras, baldes, funis e tambores limpos), almoxarifado absolutamente organizado e limpo, … Todos os níveis do prédio da moagem com o piso pintado e absolutamente limpo. Pátios e pistas de acesso limpas e lavadas. Ninguém sujou seu sapato ou roupa durante a visita. Nenhum vazamento nem de uma mínima poeira. Imaginem qual foi a surpresa e a impressão que eles tiveram. Viraram nossos “garotos propaganda”, pois contaram para todos os seus amigos e parentes, o que era uma MOAGEM DE CIMENTO!

Vou contar somente um detalhe de como foram nossas emoções, mas poderíamos contar muitas mais. Usou a palavra uma pessoa que havia se apresentado como ajudante de serviços gerais quando começou a trabalhar. Não tinha nunca trabalhado antes. No seu depoimento, agradeceu muito à Fábrica Itajaí por tudo o que ele tinha conseguido na sua vida. Resumindo: ele era o maior distribuidor do nosso cimento e tinha a maior das lojas de material de construção da região. E mais algumas filiais. Não precisamos falar que ficamos absolutamente boquiabertos, pois jamais imaginávamos que alguém que teve o começo da vida profissional como a dele, tivesse chegado a esse nível de relevância social e econômica. Foi maravilhoso ouvi-lo. Ele estava orgulhoso e muito emocionado! Nós, atônitos!

A despedida deles, foi outro momento emocionante e de confraternização, pois se nós tínhamos aquele emprego, foi graças ao pioneirismo e dedicação de cada um deles.