04. EXPERIÊNCIAS VIVIDAS: FREGUESIAS II

Para você que nos leu ontem e está nos acompanhando, sabe como surgiu o conceito de freguesia, mas não sabe como era essa “filosofia” de excelente custo x benefício.

A fábrica da Cimento Itaú do Paraná, foi dividida em vários setores físicos, chamados “freguesias”, que como já contei, foi uma ideia do Chefe do Departamento de Produção, Flavio de Jesus Ferreira. Nada mais era que uma área delimitada em volta do ambiente de domínio de cada chefia da empresa, que assumia a responsabilidade de cuidar da sua “propriedade”. Exemplos: laboratório, almoxarifado, escritório, vila residencial, lago de refrigeração da área industrial, forno, moagem de farinha, moagem de cimento, ensacadeira, refeitório e outros.

Nas horas vagas os colaboradores daquela área, de forma voluntária, pintavam o meio fio, plantavam grama, podavam árvores, plantavam árvores de fruta, faziam jardim, varriam, lavavam e a mantinham em ordem tudo, 100% do tempo. Com esse “fatiamento”, ficou fácil para que cada chefia e seu TIME, mantivessem a fábrica “PERMANENTEMENTE” limpa e arrumada, sem custos adicionais. Ainda mais, como “donos”, não deixavam que ninguém fizesse sujeira e desarrumação em seu terreno.

Vou contar o exemplo da minha freguesia! Era no entorno do lago que abastecia a água de refrigeração de toda a área industrial, rede de incêndio, ajardinamentos, lavagem de pistas e outras finalidades. Era antigamente um mato, onde tínhamos dificuldade até para fazer manutenções nas bombas e motores. Discutimos quais os desejos dos que faziam parte do meu TIME, para serem implantados. O que fizemos, dentre outras coisas, para não lhe cansar:

  • Quiosque coberto com sapé, eucalipto nas estruturas e cobertura, solo cimento no piso.
  • Criação integrada de peixes e marrecos de pequim (pescarias, competições de pesca e até de caiaque).
  • Construção de churrasqueira, sanitários, vestiário, mesas e bancos de concreto (na foto uma visita e confraternização dos colaboradores e familiares da Mina Itaretama).
  • Pomar com 400 cítricos.
  • Mini zoológico.
  • Viveiro de pássaros.
  • Campeonatos de truco.
  • Cultos religiosos.
  • Churrascadas.
  • Confraternizações.
  • Assegurar que a água de retorno industrial viesse absolutamente sem contaminação.
  • Manutenção da mata ciliar.
  • Manutenção de cercas
  • Acampamentos com familiares em finais de sema.
  • Garantir verbas extras para as manutenções do CEM – Clube Ermirio de Moraes.
  • Abastecimento de peixes na Semana Santa coordenado pelo CEM.
  • Integração com as minerações e a Fábrica da Cimento Rio Branco.
  • Base de apoio para as visitas de familiares e clientes na área industrial.

Deve perguntar; em que horas faziam isso? Sempre que havia momento de ociosidade, pois a fábrica funcionava como um “brinco”. Ninguém precisava ficar “fingindo” que estava trabalhando em frente ao computador.

E assim foi descoberta a “pólvora” da limpeza e arrumação contínua de baixíssimo custo! Quase custo zero!

Algumas perguntas ficam no ar:             

  • Sabe como criar uma estrutura motivacional e implantar isso em sua empresa?
  • Que fazer para que atitude como essa possa ser um hábito e não exceção?
  • Como manter o projeto por tempo indeterminado?
  • Como estender as melhorias introduzidas por toda a área industrial e arredores?

Querendo que isso aconteça na sua empresa, use toda a nossa experiência e vire de ponta cabeça, o que hoje tem, mesmo que seja

Nos contate: Volaco – whats 41.98814.8122.