05. EXPERIÊNCIAS VIVIDAS: LAY OUT

O Eng. Marcelo Lass, quando era o diretor da metalúrgica pertencente à Cassol, discutiu comigo o que poderíamos fazer sem muita sofisticação, para revolucionarmos o lay out fazendo com que ele fosse o mais eficaz possível. Onde foi o grande diferencial proposto: com total participação dos colaboradores do chão de fábrica. Nada imposto verticalmente nem por uma consultoria que realizasse esse trabalho.

Deveriam ser treinados numa metodologia absolutamente prática e assimilável para ser imediatamente aplicada.

O objetivo era aumentar largamente a produtividade, a competitividade e minimizar riscos dos acidentes: Acidente Zero!

O desafio era fazer com que um soldador, um serralheiro, um torneiro, um pintor, um montador, um ferramenteiro, um almoxarife e outros colaboradores entendessem nosso objetivo e eles, como experts no assunto, fizessem as proposições para nossa análise, otimização conjunta e implantação. O custo deveria ser o mais próximo de zero possível.

Desenvolvemos um treinamento em linguagem descomplicada (customizado pelo IBC – Instituto Brasileiro para a Competitividade) e treinamos todos os líderes de todos os setores. Para simplificar: vocês não podem imaginar os resultados obtidos. Alteraram os processos produtivos, minimizando todos os tipos de desperdícios e tornando os ciclos muito mais lógicos e simplificados. Perdas com deslocamentos, armazenagens intermediárias, aproveitamento efetivo dos materiais, redução de sucatas, espaços de armazenamento de matérias primas e insumos racionalizados e minimizados, redução de consumo de energia elétrica e tantos outros benefícios. Fizeram as delimitações para os corredores de passagem e ainda demarcaram cada área com os seus “donos” e definiram os espaços dos postos de trabalho!

Resultado fantástico e de absoluto sucesso, pois como foram eles que definiram o lay out, fizeram tudo para que desse tudo certo. Quando necessário, eles mesmos faziam os reajustes. A filosofia de trabalho era a do KAIZEN – melhoria contínua.

Algumas perguntas ficam no ar:                                         

  • Você, como gestor de sua área de negócio, tem domínio do conhecimento para implantar essa ferramenta de gestão em sua empresa?
  • O que você fazer para que atitudes como essas possam ser um hábito e não exceção? Isso não é uma campanha. É um processo contínuo.
  • Qual o nível de comprometimento de seus colaboradores para participarem definitivamente dessas melhorias contínuas?
  • Seus colaboradores estão capacitados para isso?
  • Seu time entende que cada processo pode ser melhorado continuamente e ele é o responsável pela redução permanente de custos?
  • Até que ponto ele entende a filosofia de fazer mais com menos?
  • Conte com nossos conhecimentos teóricos e práticos, para lhe auxiliar para melhorar ainda mais aquilo que você já tem implantado. Contate com Volaco – Whats 41.98814.8122. Vamos ser parceiros nessa empreitada.