27. EXPERIÊNCIAS VIVIDAS: VOLUNTARIADO AMERICANO

Aprendi que quando formos discutir algum tema, seja ele qual for, precisamos antes, fazer um “acordo semântico”, ou seja, sabermos exatamente, do que iremos tratar. Isso evita muitas idas e vindas, perdas de tempo e desgastes, quando estamos sintonizados e focados sobre a mesma coisa. Todos terem o mesmo entendimento.

Fui pesquisar um pouco mais sobre voluntariado e achei uma definição que se enquadra muito bem no que eu penso também: “Em estudo realizado na Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, definiu-se o voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional”.

Fazendo esse preâmbulo, vamos ao assunto!

Essa foi uma experiência muito interessante, pois fomos procurados por uma ONG que tinha como propósito recuperar essa área (veja as fotos) totalmente degradada da cidade de Detroit – MI – USA. Isso ficava exatamente ao lado da nossa fábrica da Saint Marys Cement, pertencente à Votorantim Cimentos e da qual eu era o Plant Manager!

Consultamos as principais lideranças da empresa e qual não foi a nossa surpresa pela enorme adesão de tantos amigos e colaboradores nossos. No dia do mutirão éramos quase que a maioria do grupo de todos os colaboradores. Muito trouxeram as esposas ou maridos com os filhos.

Fizemos uma reunião prévia, antes de pôr as mãos na massa, tomando um bom café da manhã, falando sobre os principais cuidados a serem tomados, EPIs que usaríamos, recursos de primeiros socorros e inclusive de uma auto apresentação nossa para o grupo da ONG no que chegássemos ao campo.

Nosso resultado foi exponencial, pois enquanto eles removiam escombros, sucatas e lixo com as mãos, usávamos pá carregadeira, bob cat, empilhadeira e caminhão basculante. Removemos muitas toneladas e fizemos o descarte já com tudo separado para a reciclagem. Todos ficamos surpresos com a enorme mudança visual, com apenas aquele meio dia de voluntariado, num sábado.

Lá mesmo, no campo de batalha contra aquela calamidade poluidora, fizemos uma avaliação do resultado. Não precisa dizer de nossa enorme felicidade a de nossos anfitriões da ONG, mas principalmente dos filhos de nossos colaboradores que participaram entusiasticamente do voluntariado.

Missão cumprida com segurança total e de forma muito gratificante. Conhecemos muitos de nossos vizinhos, que acabaram sendo nossos parceiros e nossos defensores!

Amanhã conto mais um pouco da segunda vez que atuamos em conjunto.