BRIGADA DE INCÊNDIO – Episódio 2

BRIGADA DE INCÊNDIO FÁBRICA CIMENTO RIO BRANCO PR – Episódio 2

“A cada pequeno evento que eu lembrar ou for lembrado, vou repartindo esta experiência com você.”

Brigada de Incêndio – Episódio 2

No episódio anterior já comentamos sobre a origem da nossa Brigada de Incêndio na Fábrica de Cimento da Votorantim Cimentos localizada em Rio Branco do Sul – PR. Recomendo que leia o episódio anterior antes deste, para ter uma sequência lógica dos fatos.

Era uma época onde estávamos reduzindo custos em tudo, utilizando a filosofia de Fazer Mais Com Menos. Como equipar 35 voluntários e ainda adquirir os equipamentos básicos para o combate a incêndio florestal? Como fazer isso sem cometer erros estratégicos e evitar Custos Desnecessários e Retrabalhos?

O José Vitor – Coordenador da Brigada foi até o Corpo de Bombeiros e conheceu os assuntos mais importantes sobre a formação de brigadistas, equipamentos de qualidade para equipá-los e os passos imprescindíveis para FAZER CERTO DA PRIMEIRA VEZ E SEMPRE.

Assim, definimos como seriam os uniformes, critérios de seleção, o que teríamos de máquinas e equipamentos de fabricação própria e a serem adquiridos. Mas o mais importante foi ter recebido o apoio da Sra.Sueli do SIATE do Corpo de Bombeiros de Curitiba, que nos ajudou no TREINAMENTO DO TIME. A Sueli teve um papel importantíssimo no preparo primoroso do nosso TIME.Sempre estivemos convencidos que para fazer um trabalho, mesmo que voluntário, cada componente precisa ser exaustivamente treinado e capacitado.

Aqui houve um episódio muito interessante. Uma empresa alemã soube que estávamos formando essa Brigada de Incêndio e se propôs a trazer um caminhão Mercedes Benz de última geração para este tipo de atividade. Ficamos maravilhados com a demonstração e apavorados com o valor: R$600.000,00 (a no de referência era 1.990). Sabíamos que isso era inviável, mas não nos desanimamos. A mineração ia desmobilizar um caminhão pipa para substituí-lo por um mais moderno e conversando com o João Wilson e o Paulo Henrique, conseguindo que fosse feita a transferência para nossa brigada. O Mauri Miranda e o Wilson foram os que nos ajudaram nas adaptações do pipa para instalarmos caixas metálicas( guardarmos as ferramentas e bombas costais), canhão de água e outros acessórios indispensáveis para o bom funcionamento, além de uma revisão mecânica e elétrica geral. Até uma nova pintura foi feita num sistema de voluntariado da equipe de Máquinas e Veículos.

Acho que por hoje já contamos muita coisa. Vamos deixar um pouco para amanhã. SEJA NOSSO CONVIDADO.